Notícias

Assistidos pela Defensoria Pública recebem orientações sobre direitos da pessoa idosa

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 18, junho de 2019 às 14:18
Palestra sobre direitos da pessoa idosa, na Diretoria de Primeiro Atendimento

Palestra sobre direitos da pessoa idosa, na Diretoria de Primeiro Atendimento

Os assistidos pela Defensoria Pública que se encontravam nesta terça-feira (18) no setor de triagem da Diretoria de Primeiro Atendimento, receberam informações sobre a prevenção e enfrentamento à violência contra o idoso, por meio de palestra proferida pelas Defensoras Públicas Dra. Sara Maria Araújo Melo e Dra. Sarah Miranda Lages Cavalcanti, titulares do Núcleo de Defesa e Proteção ao Idoso e Defesa da Pessoa Com Deficiência da Defensoria Pública do Estado do Piauí.

A iniciativa se deu em alusão ao transcurso do Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, em 15 de Junho. As duas Defensoras Públicas discorreram sobre as várias formas de violência praticadas contra a pessoa idosa, destacando que não se trata apenas de violência física, mas que também pode ser psicológica, econômica/financeira, sexual, por  negligência e por abandono. Durante a palestra foi distribuído material informativo, contendo inclusive o contato para denúncias sobre violência e abuso contra idosos, por meio do Disque 100 , explicando ainda os procedimentos para comunicar possíveis situações de violência ao Núcleo de Proteção do Idoso da Defensoria Publica.

“Quem ama cuida, respeita e protege. Com amor respeito e proteção nosso idosos serão melhor tratados.  É preciso estar ciente que o enfrentamento à violência contra os idosos  não pode se limitar a uma data específica, tem que acontecer o ano todo. O combate e denúncia sobre qualquer tipo de violência é uma obrigação de todos nós,  que consta no Estatuto do Idoso. As estatísticas indicam que o maior violador é a família, que deveria proteger o idoso, não protege. Precisamos repensar condutas e ações e buscar incluir os idosos , integrá-los”, afirmou Dra. Sara Melo, lembrando que toda pessoa a partir dos 60 anos é considerada idosa e tem direto a proteção legal.

Defensoras Públicas durante a abordagem do tema

Defensoras Públicas durante a abordagem do tema

Dra. Sarah Miranda também alertou sobre os riscos que os idosos correm em relação a todos os tipos de violência. “É necessário  que todos nós, sociedade, Estado e o próprio idoso, reflitam sobre o tema de forma a colaborar para a prevenção e erradicação da violência contra o idoso. Que a violência pode ser entendida em sentido amplo, quando envolve qualquer violação ao direitos dos idosos, e em sentido específico quando gera agressão física, psicológica, financeira, negligência e outras. A violência pode ser ainda institucional, notadamente quando as políticas públicas não contemplam com eficiência a tutela dos direitos dos idosos, ou ainda quando uma ILPI descumpre a legislação, não assegurando alimentação, saúde, segurança e dignidade aos idosos institucionalizados. Também é preciso alertar que quando temos preconceito contra a pessoa idosa, somos agentes da violência  e que essa violência , ocorre muito no âmbito doméstico, onde 50% dos causadores de violência são os próprios filhos. O índice de violência psicológica contra o idoso é 28%, ficando a violência física em segundo lugar”, afirmou.

As duas Defensoras destacaram que toda e qualquer forma de violência pode e deve ser denunciada, inclusive que essa denúncia pode ser anônima. Também colocaram  o Núcleo de Defesa e Proteção ao Idoso e Defesa da Pessoa Com Deficiência da Defensoria à disposição para casos que envolvam os direitos da pessoa idosa.“Fazemos inclusive um trabalho de conscientização junto ao idoso que esteja em situação de risco, para que ele possa tomar as rédeas da própria vida. Tudo isso com muito cuidado para que o idoso perceba que seus direitos estão sendo respeitados”, ressaltou Dra. Sarah Miranda.

A palestra foi bastante produtiva e contou com a participação dos presentes , muitos dos quais interagiram com as duas Defensoras Pública,s esclarecendo dúvidas ou dando relatos referente as pessoas idosas que fazem parte de suas famílias.