Notícias

Coordenadora do Sistema Prisional participa da Reunião Anual da Central Integrada de Alternativas Penais

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 01, fevereiro de 2019 às 21:40
Dra. Sheila Andrade se pronuncia durante a reunião

Dra. Sheila Andrade se pronuncia durante a reunião

A Coordenadora do Sistema Prisional da Defensoria Pública do Estado do Piauí, Defensora Pública Dra. Sheila de Andrade Ferreira, participou nesta sexta-feira (01), da Reunião Anual da Central Integrada de Alternativas Penais, que aconteceu no Plenário do Tribunal do Júri, no Fórum Cível e Criminal de Teresina.

A reunião, com a presença de representantes do Poder Judiciário, Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Piauí, foi conduzida pelo Juiz Titular da Vara de Execuções Penais, Dr. José Vidal de Freitas. “Todos os anos costumamos realizar essa reunião, para fortalecer o contato com as entidades conveniadas à Central, o que é muito importante para a Vara de Execuções Penais, pois as penas restritivas determinadas, quando cabíveis, têm que ser cumpridas pela VEP, daí a importância dessa atenção”, destacou o Juiz.

Dra. Sheial de Andrade ladeada por Dr. Eloy e Dr. José Vidal

Dra. Sheila de Andrade ladeada por Dr. Eloy e Dr. José Vidal

Dra. Sheila de Andrade explica que a pena alternativa evita a prisão em um Sistema Prisional superlotado, sendo também vantajosa para a sociedade. Segundo a Defensora, existem mais de cem entidades cadastradas, que recebem os apenados para prestação de serviços à comunidade e todos os representantes dessas entidades, unissonamente, elogiam a atuação dos apenados encaminhados. “Eles nos contam suas histórias e relatam que alguns chegaram a cumprir o tempo da condenação e permaneceram  trabalhando com as entidades por livre vontade”, diz.

Em sua fala, Dra. Sheila de Andrade ressaltou a importância da aplicação das penas alternativas. “A Defensoria Pública, assim como o Ministério Público e o Judiciário, tem a maior e melhor intenção que sejam produtivas as penas alternativas e seu monitoramento, por conta não só da não reincidência, mas para que outras entidades possam ver com bons olhos aqueles que são oriundos do Sistema Prisional, para que possamos dar oportunidades, a fim de que esses números que são tão alarmantes se tornem menores e  mais auspiciosos. Todos os que estão aqui, creio, têm a intenção de colaborar. Aproveito para parabenizar que esta reunião esteja ocorrendo logo no início do ano, o que nos possibilitará traçar e cumprir metas e, se algo não estiver adequado, teremos a oportunidade de corrigir”, disse Dra. Sheila de Andrade, informando ainda que na Coordenação do Sistema Prisional da Defensoria Pública, os Defensores  Públicos atuam não apenas na Execução Penal, mas também junto ao preso provisório e nas Audiências de Custódia.