Notícias

Criança que obteve liminar através da Defensoria viaja para São Paulo em UTI aérea

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 07, junho de 2017 às 11:03
Avião equipado com UTI Aérea no qual foi feito o transporte da criança

Avião equipado com UTI Aérea no qual foi feito o transporte da criança

Viajou na terça-feira (06) em UTI Aérea para São Paulo a criança W. V. A. S, que teve a cirurgia assegurada pela Defensoria Pública por meio do Núcleo Especializado da Saúde, por liminar conseguida pelo Defensor Público Dr. Rogério Newton de Carvalho Sousa.

A criança viajou acompanhada da mãe Enicleide Pereira da Silva, de um médico intensivista e uma enfermeira também especializada. W. V. A. S. que é portadora de cardiopatia congênita passará por cirurgia no Hospital do Coração, em São Paulo.

A liminar que possibilitou a viagem foi concedida no dia 31 do último mês de maio, pelo Juiz Dr. Rodrigo Alaggio Ribeiro, da 1ª Vara da Fazenda Pública.

W. V. A. S., teve a cirurgia agendada no Hospital do Coração por meio do Tratamento Fora do Domicílio do SUS, contudo o TFD não concedeu a passagem aérea, com suporte de UTI. Por não dispor de recursos financeiros, orçados em R$ 93.600,00 (noventa e três mil e seiscentos reais)para fazer o transporte, a família da criança recorreu à Defensoria Pública que, por meio do Núcleo da Saúde, ingressou com pedido de UTI Aérea, tendo conseguido o despacho em tempo recorde de menos de 24 horas.

“A paciente nasceu com uma dificuldade de oxigenação sanguínea por falência do sistema pulmonar cardíaco, a artéria pulmonar dela é atrofiada, ou seja, ela não tem oxigenação do sangue perfeita, fazendo com que possa ter a qualquer momento uma falência na oxigenação  cerebral, que pode levar à morte súbita. É uma paciente iminentemente grave que necessita ter cuidados intensivos para seu transporte. A indicação precisa é  de um transporte em UTI aérea que é o que estamos fazendo”, explicou o médico intensivista David Leal, que acompanhou W. V. A. S. na viagem.

A mãe da criança ressaltou a sensação sentida com a conquista da liminar através da defensoria Pública. “Eu me sinto privilegiada. É uma gratidão muito grande ter conseguido e tão rápido”, afirmou Enicleide Pereira da Silva antes do embarque.