Notícias

Defensora Pública conduz 7º módulo do Programa Reeducar

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 22, março de 2018 às 11:09
Dra. Lia Medeiros durante o módulo

Dra. Lia Medeiros durante o módulo

A Coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica a Familiar da Defensoria Pública do Estado do Piauí, Defensora Pública Dra. Lia Medeiros do Carmo Ivo, proferiu Palestra sobre as particularidades da Lei Maria da Penha no tocante a sua implementação e, especialmente, quanto às medidas protetivas, durante o 7º módulo do programa Reeducar, que é desenvolvido pelo Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID)do Ministério Público do Estado do Piauí.

Dra Lia Medeiros conduziu o módulo juntamente com a Promotora de Justiça Dra. Amparo Paz. A palestra, denominada “A Lei Maria da Penha e a Violência contra a Mulher”, foi proferida para grupo de homens em processo de reeducação por responderem judicialmente pelo crime de Violência doméstica. O programa acontece uma Vez por mês, durante nove meses, e tem como objetivo suscitar a mudança de comportamento e eliminação de ideais machistas e opressoras.

“Para se ter uma ideia do quão enraizada é a cultura de opressão da figura feminina, somente em 1948, a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a mulher passou a ter seus direitos assegurados. Direitos que são comuns a todos os seres humanos”, destacou na oportunidade a Promotora.

“Muitas vezes a simples punição isolada não faz com que os homens reflitam sobre o comportamento deles, na verdade, sentem-se até injustiçados. Então esse trabalho proporciona Que haja uma reflexão que por sua vez leve a uma mudança de comportamento. Todos nós que Trabalhamos nessa área de defesa da mulher, não queremos uma simples punição, queremos a mudança”, afirma Dra. Lia Medeiros.

Segundo informações da Coordenação do Programa, devido ao seu caráter positivo, o Reeducar vem atraindo participantes de forma espontânea, mesmo que não haja a determinação judicial, que seria o requisito necessário para inserção.

Fonte (e fotos): Assessoria MP/PI

Módulo do Programa Reeducar

Módulo do Programa Reeducar