Notícias

Defensoria da Infância e Juventude realiza atendimentos de rotina por videoconferência para adolescente internos no CEM

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 22, junho de 2020 às 10:38

afonso1

A  Defensoria Pública do Estado do Piauí iniciou, no último dia 19, atendimento de rotina por videoconferência com os adolescentes internos no Centro Educacional Masculino (CEM). O trabalho foi possível a partir da ação da equipe da 4ª Defensoria da Infância e Juventude, que tem como titular o Defensor Público Afonso Lima da Cruz Júnior, também em atuação por substituição na 3ª Defensoria da Infância e Juventude. Somente no dia 19 foram realizadas audiências com 13 adolescentes.

O Defensor Público Afonso Júnior explica que a iniciativa se deu devido ao momento vivenciado de necessidade de isolamento social por conta da pandemia ocasionada pelo risco de contágio do Novo Coronavírus, o que tem impedido o atendimento presencial por questão de segurança tanto para os adolescentes como para a equipe da Defensoria.  O Defensor diz que o trabalho  teve um ótimo resultado. “Foi extremamente rápido e eficiente, até porque  nesse momento pandêmico é muito difícil eles entenderem, por exemplo, a diminuição banho de sol e mesmo toda essa situação de adversidade que estamos  vivenciando. Mas o atendimento foi muito proveitoso. Colocamos os adolescentes a par da situação processual, mostramos as atuais dificuldades e pretendemos continuar, toda sexta-feira, com o trabalho. Nosso objetivo é concluir o mais rápido possível essa ação no CEM e depois, gradativamente, iremos para as demais unidades”, explica Afonso Júnior.

O Defensor Público reforça que o atendimento se deu devido a um trabalho conjunto. “Trata-se de um esforço de equipe da Infância e Juventude, que nos municiou de todos os elementos necessários para fazermos o histórico sobre a situação processual de cada adolescente. Esse trabalho é importante porque representa uma forma de até evitar rebeliões, já que eles estão tendo o conhecimento que continuamos trabalhando, encaminhando os pedidos necessários. Só o fato de saberem disso já tem um significado relevante para eles”, afirma Afonso Júnior.

Após concluído o atendimento dos adolescentes do CEM a Defensoria da Infância e Juventude prosseguirá com as videoconferências com as internas do Centro Educacional Feminino (CEF) e no Centro Educacional de Internação Provisória (CEIP) , onde já vêm sendo realizado o atendimento nessa modalidade antes das audiências por videoconferência ali realizadas. Afonso Júnior informa ainda que os adolescentes que se encontravam no Semiliberdade hoje se encontram cumprindo as medidas em liberdade.

Para a realização dos atendimentos por videoconferência a Defensoria Pública encaminha uma relação ao gestor da Unidade , para que os adolescentes possam ser devidamente colocados em contato com a Instituição na data agendada. “Temos à disposição todos os elementos possíveis para a realização desse trabalho”, afirma o Defensor.