Notícias

Defensoria e Município de Teresina discutem atuação integrada no atendimento à mulher

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 26, junho de 2019 às 16:59
Gestores tratam de pautas relacionadas ao atendimento às mulheres

Gestores tratam de pautas relacionadas ao atendimento às mulheres

O Defensor Público Geral do Estado do Piauí, Dr. Erisvaldo Marques dos Reis, esteve reunido nesta quarta-feira, dia 26, com a Secretária Municipal de Políticas para Mulheres, Marcilane Gomes Batista. A Secretária apresentou ao Gestor da DPE-PI o Projeto do Espaço InThegra  Mulher, convidando a Instituição a ser parceira na iniciativa. A Subdefensora Pública Geral, Dra. Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior e a Coordenadora do Núcleo da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, Dra. Lia Medeiros do Carmo Ivo, participaram da reunião, que contou ainda com a presença da analista de gestão pública da Secretaria, Ana Regina Nolêto.

O Espaço InThegra Mulher tem o objetivo de dispor em um único local, de modo integrado, de diferentes serviços de atendimento às mulheres, possibilitando o desenvolvimento da autonomia, autoestima e empoderamento feminino.

Reunião no Gabinete do Defensor Público Geral

Reunião no Gabinete do Defensor Público Geral

Marcilane Batista apresentou a planta do espaço, cuja obra deve ficar pronta em 2020 e convidou a Defensoria para integrar a ideia já neste ano, como uma etapa piloto para a implantação definitiva. “O Espaço InThegra Mulher vai ser construído pela Prefeitura de Teresina visando o atendimento de todas as mulheres, inclusive as que se encontram em situação de violência. A ideia é ter uma área nesse espaço onde se possa agregar serviços de segurança, Defensoria Pública, Ministério Público e demais. Nossa conversa com o Defensor-Geral faz parte de um projeto de construção e articulação, para buscamos a realização desse espaço juntos. O Espaço visa trabalhar também o empreendedorismo, a autoestima, esporte, lazer, cultura e estamos trabalhando a articulação com toda a rede de atendimento. O papel da Defensoria Pública será sem dúvida de grande importância. Trabalharemos em duas etapas. A primeira consiste em já aproximar os órgãos e instituições,para construir o fluxo desse atendimento, ficar mais próximos do Centro de Referência Esperança Garcia, como uma etapa de convivência em um mesmo espaço físico”, destacou a Secretária.

A Coordenadora do Núcleo da Mulher considera a proposta excelente. “Parte de um a ideia que existe em alguns estados e há muito tempo era para ser padrão nacional, que é a Casa da Mulher Brasileira. É uma ideia maravilhosa, cujo foco principal é diminuir essa rota crítica das mulheres, para que não se percam no caminho por conta de inúmeros fatores, o que faz com que a gente acabe perdendo a oportunidade de inserir essa mulher na rede. A mulher em situação de violência não tem um problema pontual, ela tem toda uma situação que precisa resolver, necessita de assistência jurídica, social, psicológica, uma inclusão produtiva. Precisa de uma resposta para os filhos que também estão em situação de vulnerabilidade. Então, dentro de um mesmo espaço físico funcionarem diversos serviços é de suma importância, tanto para nós como para os interesses de nossas assistidas. Importante dizer que se trata da possibilidade de expandir os serviços do Núcleo, criar novo espaço para acolhimento, sob a nossa coordenação, pensando em ampliar o serviço e fazendo esse caminho que deve ser o da Defensoria, de cada vez mais se aproximar da população”, diz Dra. Lia Medeiros.

O Defensor Público Geral considerou com interesse o projeto e a possibilidade de expandir os atendimento às mulheres vítimas de violência. O Gestor considerou a questão da logística para que a Instituição esteja apta a participar do InTehgra Mulher desde a sua primeira etapa. “Trata-se de um interessante Projeto que proporciona essa possibilidade de atendimento conjunto dos os órgãos e Instituições que compõem a rede. Temos apenas que determinar alguns pontos, estudar qual a melhor forma de participação da Defensoria, necessitando para isso de apoio, que possibilite a estrutura necessária para o desenvolvimento de nossas ações. É realmente um avanço em termos de atendimento e temos todo o interesse em participar. Já desenvolvemos com o Município parcerias que têm nos fortalecido, como a que temos com a Fundação Municipal de Saúde no Projeto Cidadania e Saúde, realizado dentro das penitenciárias. São parcerias que nos fortalecem. Vemos como fundamental a possibilidade de integrar o Projeto desde a primeira fase, para que possam ser identificados e solucionados  qualquer gargalo que venha a surgir. É uma ideia que inclusive irá facilitar nossa atuação. Vamos tratar a proposta com muito interesse”, afirmou Dr. Erisvaldo Marques.