Notícias

Defensoria e Sejus discutem realização de Força-Tarefa Defensorial nas Unidades Prisionais de Picos

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 19, junho de 2019 às 14:15
Gestores discutiram a realização da Força-Tarefa

Gestores discutiram a realização da Força-Tarefa

A Defensoria Pública do Estado do Piauí  irá realizar uma Força-Tarefa Defensorial para análise da situação dos reeducandos que se encontram na Penitenciária Feminina Adalberto de Moura Santos e Penitenciária Regional  José de Deus Barros. Para definir a ação, que será realizada no segundo semestre deste ano, aconteceu nesta quarta-feira (19) reunião entre o Defensor Público Geral do Estado do Piauí, Dr. Erisvaldo Marques dos Reis e o Secretário de Estado da Justiça, Carlos Edilson Rodrigues Barbosa de Sousa. Também estiveram presentes a Subdefensora Pública Geral do Estado do Piauí, Dra. Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior e a Diretora das Defensorias Públicas Regionais, Dra. Karla Araújo Andrade Leite.

Dr. Erisvaldo Marques e Secretário Carlos Edilson

Dr. Erisvaldo Marques e Secretário Carlos Edilson

O Secretário Carlos Edilson diz estar otimista em relação a realização da Força-Tarefa. Estamos mais uma vez mantendo essa parceria com a Defensoria Pública, que tanto nos ajuda no Sistema Penitenciário, levando uma Força-Tarefa para Picos, o que vai oportunizar a todos os reeducandos que estão dentro do Sistema Penitenciário na cidade de Picos serem atendidos pela Defensoria, que poderá apresentar recursos e petições para o Poder Judiciário, fazendo com que se mantenha preso somente quem deve ali permanecer. Se um preso que está naquela Unidade por algum motivo já tenha oportunidade de sair, essa ação da Defensoria Pública vai proporcionar essa saída. Será uma ação exitosa”, destacou.

O Defensor Público Geral detalhou como se dá a ação. “O Programa Força-Tarefa já vem sendo realizado desde 2015, tendo sido implantado na gestão da Dra. Hildeth Evangelista. Realizamos a ação em sete Unidades Prisionais do Estado, na capital e interior e agora a proposta é fazer no segundo semestre em Picos, tanto na Penitenciária Feminina como na Masculina. É uma ação voltada para ver a situação da prisão, se está ou não regular e, a partir daí, fazer algum pedido em atenção à pessoa. Fazemos também pedidos relacionados à saúde, como nos casos em que o reeducando está necessitando de atendimento médico. Temos essa previsão de realização em Picos e iremos estudar com a Sejus a possibilidade de realizar a Força-Tarefa em outras Unidades”, afirmou Dr. Erisvaldo Marques, que é o autor do Projeto Força-Tarefa.