Notícias

Defensoria Pública integra mais uma edição da Semana da Justiça pela Paz em Casa

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 21, agosto de 2018 às 08:39
Audiências da Semana aconteceram no Sesc Ilhotas e Fórum

Defensoras Públicas participaram de audiências da Semana pela Paz em Casa no Sesc Ilhotas

Teve inicio nesta segunda-feira, dia 20, mais uma edição da “Semana da Justiça pela Paz em Casa”, uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) executada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI). A Defensoria Pública do Estado do Piauí é parceria da ação que acontece até o dia 24 de agosto.

Nesta edição, as audiências estão sendo realizadas em dois endereços, no 1º andar do prédio do SESC Ilhotas e no 4º andar do Fórum Cível e Criminal,  8h às 17h.  “A ideia é  dar uma resposta mais rápida e desafogar um pouco a Vara para que os processos possam fluir de uma forma melhor”, pontuou Dra. Lia Medeiros do Carmo Ivo, Coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar e Titular da 1ª Defensoria Pública da Mulher, que se encontrava em audiência no SESC Ilhotas.

Segundo a Coordenadora, no primeiro dia de atividades, algumas falhas e eventuais atrasos atrapalharam o andamento dos trabalhos no turno da manhã, sendo que uma delas diz respeito a descentralização dos locais das audiências. “O ideal era que fosse em um prédio só, exatamente pela dificuldade de locomoção das pessoas, principalmente os assistidos pela Defensoria”, enfatizou Dra. Lia Medeiros.

Audiências também aconteceram no Fórum Cível e Criminal

Audiências também aconteceram no Fórum Cível e Criminal

No Fórum, onde se concentraram as ações da Lei Maria da Penha, as falhas também se repetiram, como a falta de sistema e ausência de comunicação,  dificultando a execução das audiências. Segundo a Dra. Sheila Andrade Ferreira, Titular da 2ª Defensoria Pública de Família e Coordenadora do Sistema Prisional da Capital, na manhã desta segunda-feira, duas audiências foram frustradas.  “Eu acho que as desconcentração das audiências no prédio principal do Fórum prejudicou os andamentos da Semana da Justiça pela Paz em Casa. Por mais que conste nos contatos dos mandatos os locais das audiências, as pessoas estão confusas, não estão comparecendo. Os números, acho, que vão dizer de maneira mais efetiva a solubilidade em relação aos casos, mas até agora – estamos na segunda audiência (10h30) – duas foram frustradas”, disse a Defensora Pública.

Dra. Sheila Andrade relatou, entre alguns dos problemas detectados no primeiro dia da ação, a dificuldade em relação ao transporte  e endereço. “Para alguns não houve intimação, nas outras as vítimas não apareceram , ninguém sabe o motivo. De repente por confusão de local de audiência. Há também dificuldade em relação ao transporte. Algumas pessoas associaram o Ilhotas à Sede Provisória da defensoria, ao invés do SESC, indo para lá”, comentou, relembrando que o Tribunal de Justiça disponibilizaria uma van para o transporte das pessoas até os locais das audiências.

“Continuamos dizendo que é necessário que haja uma melhor organização. Que as  instituições sentem e conversem. E que essas dificuldades sejam sanadas para que a gente possa verificar um sucesso melhor, porque vemos que as partes estão chateadas, muitas estão preocupadas com o horário porque têm que voltar para os seus locais de trabalho”, finalizou Dra. Lia Medeiros.

Semana da Justiça Pela Paz em Casa

Semana da Justiça Pela Paz em Casa

Estiveram presentes às audiências da Semana da Justiça pela Paz em Casa nesta segunda-feira, os três Defensores que compõem o Núcleo de Defesa da Mulher em Situação de Violência da DPE-PI, Dr. Armano Carvalho Barbosa, Dra. Lia Medeiros do Carmo Ivo, Dra. Verônica Acioly de Vasconcelos. Também presentes os Defensores Públicos Dr. Ulisses Brasil Lustosa, Dra. Sheila Andrade Ferreira, Dra. Priscila Gimenes do Nascimento Godoi, Dra. Ana Teresa Ribeiro da Silveira