Notícias

Defensoria realiza manhã de atendimento para público não-binárie dentro do Projeto Meu Nome, Meu Orgulho

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 16, maio de 2022 às 16:18

WhatsApp Image 2022-05-16 at 14.10.50

Uma manhã de cidadania voltada para o público não-binárie, travestis e transexuais, foi o que aconteceu nesta segunda-feira (16) no edifício-sede da Defensoria Pública do Estado do Piauí, em Teresina, com a realização de mais uma edição do projeto Meu Nome, Meu Orgulho, coordenado pela Defensora Pública Patrícia Ferreira Monte Feitosa.

A abertura da ação contou com a participação do Defensor Público Geral do Estado do Piauí, Erisvaldo marques dos Reis; da Subdefensora Pública Geral, Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior; da Diretora Cível da DPE-PI, Sheila de Andrade Ferreira; da secretária executiva do Centro de Referência LGBTQIA+ e da Gerente de Enfrentamento à LGBTFOBIA da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc), respectivamente Maria Laura dos Reis e Joseane Gomes Santos Borges.

Desenvolvido desde 2018, o Projeto Meu Nome, Meu Orgulho se constituiu em um importante passo no respeito e reconhecimento da identidade de inúmeras pessoas a partir da alteração do prenome, sem que seja necessária a cirurgia para mudança de sexo.

Durante a abertura o Defensor Público Geral ressaltou a relevância dos projetos desenvolvidos pela Defensoria como facilitadores do acesso aos direitos para vários segmentos da população. “Quero agradecer a presença de todos, é muito importante a Instituição contar com a presença de vocês. A Defensoria Pública desenvolve o Meu Nome, Meu Orgulho desde de 2018 e é um dos mais belos projetos da Instituição que sempre procuramos incentivar. Hoje contamos com mais de 25 projetos, trabalhando com todos os grupos que demandam serviços da Defensoria, como quilombolas, pessoas em situação de rua, com transtornos mentais, privadas de liberdade, entre outros, desenvolvendo capacitações e orientações em direitos, o que nos orgulha muito. A Defensoria não faz sentido sem as pessoas dentro dos seus prédios, buscando nossos serviços, assim como nós, saindo da Instituição e indo até o nosso público. Dizer da alegria e satisfação de estar realizando hoje esse atendimento. Gosto de ressaltar o trabalho da Patrícia Monte, que é uma Defensora que orgulha a Defensoria brasileira, com um trabalho reconhecido nacionalmente”, afirmou Erisvaldo Marques.

A gerente de e enfrentamento à LGBTFOBIA da Sasc, Joseane Borges, destacou a ação. “Esse é mais um estreitamento da parceria com a Defensoria, que é muito importante para a população e principalmente para as pessoas não-bináries, travestis e transsexuais hja vita o preconceito ainda latente no que diz respeito a identidade de gênero e, quando não tem esse respeito, automaticamente não terá respeito pelo nome da pessoa, que é o que identifica qualquer ser humano. É uma parceria importantíssima, que favorece a vida da população trans, não-binárie, e que está fazendo com que essa população esteja aqui dentro da Defensoria para reivindicar esse direito, que é o respeito ao nome. Esse Projeto é muito importante para que essa população, que ainda sente na pele a dor e a delícia de ser o que é tenha esse direito, que é resguardado pela Constituição”, ressaltou..

Integrante do do Coletive CorpoBixa, Trix, que estava presente ao atendimento na Defensoria, destacou as impressões sobre a ação. “O dia de hoje é muito importante porque traz visibilidade para nós não-binarie s e mostra o quanto a população trans de certa forma é diversificada, que a gente constrói as nossas portas da forma que queremos construir, que nos constituímos enquanto sujeitos da nossa própria forma, longe de qualquer norma, qualquer binarismo ou qualquer estrutura que diga o que é certo para que a gente possa viver. Aqui temos pessoas que querem retificar tanto o gênero quanto o nome, assim como as que estão confortáveis com o nome dados por seus pais e querem somente a retificação de gênero, até porque a não-binariedade é isso, não importa o nome que você tem, o corpo que você tem, mas como você se compreende dentro dessa estrutura normativa que nos é designada. Eu agradeço em nome de todes o que a Defensoria está fazendo, assim como à Maria Luara e Joseane Borges, aqui é um pontapé para dizer que o movimento está aí, não aparecemos de um dia para o outro e que queremos nossos direitos por inteiro”, afirmou.

WhatsApp Image 2022-05-16 at 14.10.49A Defensora Pública Patrícia Monte avaliou a manhã como produtiva. “Tivemos realmente uma manhã voltada para a garantia de direitos para esse público específico que, infelizmente, ainda é tão discriminado e inviabilizado. Contudo, a realidade dentro da Defensoria é outra, aqui essas pessoas sempre encontrarão acolhimento e terão respaldo na sua luta por direitos. Com o projeto Meu Nome, Meu orgulho, que desenvolvemos contando com a parceria da Sasc, temos tido a oportunidade de viabilizar as demandas dessas pessoas e por isso comemoramos a ação de hoje, que acontece dentro da Semana da Defensoria Pública. Importante também destacar que toda pessoa trans, travesti, não-binarie, que necessitar dos serviços da Defensoria pode nos procurar de segunda a sexta-feira, na Diretoria de Primeiro Atendimento, no edifício-sede da Instituição em Teresina, que será prontamente atendida. Também no interior do Estado procure a Defensoria que será vista a forma de atendimento. O importante é garantir a dignidade para essa significativa parcela da população. Agradecemos mais uma vez ao Defensor-Geral, Erisvaldo Marques, pelo apoio que dá aos nossos projetos, especialmente hoje ao Meu Nome, Meu Orgulho”, ressaltou.