Notícias

Defensoria realiza Oficina de Pais e Filhos buscando harmonizar famílias em processo de ruptura

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 07, novembro de 2018 às 17:11
Participantes da Oficina de Pais e Filhos

Participantes e ministrantes da Oficina de Pais e Filhos

O fim de um relacionamento pode causar sérios danos para a saúde emocional das crianças e adolescentes, envolvidas no processo de separação dos pais. Na grande maioria dos casos, os responsáveis desconhecem os efeitos negativos das brigas e de um divórcio dentro do ambiente familiar. O Núcleo de Solução Consensual de Conflitos e Cidadania (NUSCC), da Defensoria Pública do Estado do Piauí, realiza a “Oficina de Pais e Filhos” com o objetivo de harmonizar  famílias que enfrentam a ruptura do laço conjugal.

No mês de novembro, a Oficina está sendo ministrada na última terça-feira (06) e também nesta quarta-feira (07), no Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC), no Centro de Teresina. A estudante de Direito, N.M., participou da Oficina pela primeira vez e achou interessante a abordagem. “Eu não sabia o quanto um ambiente desajustado pode prejudicar na formação de crianças e adolescentes”, pontuou a estudante, bastante sensibilizada com os depoimentos fortes, compartilhados na sala onde aconteceu a Oficina em seu primeiro dia. “É uma experiência muito rica e seria bom se fosse ampliada”.

A assistida T.L., 48 anos, soube da realização da “Oficina de Pais e Filhos” através do NUSCC, e classificou como de grande importância na prevenção de conflitos, as informações que recebeu na manhã de terça-feira, dia 06. “Fico pensando que uma ação assim, não deveria ser centralizada apenas neste prédio. Deveria ser deslocada também para dentro das escolas, para funcionar de forma preventiva”, afirmou a assistida.

Através da Oficina, T.L. teve consciência do quanto uma família desestruturada pode gerar crianças e adolescentes com problemas emocionais no futuro. “Eu moro em um bairro de alta periculosidade, o Pedra Mole, tem muito adolescente infrator e advinha de onde eles vieram? De famílias desestruturadas. Seria muito bom se o projeto fosse ampliado para as escolas, como forma preventiva”, reafirmou.

A Oficina de Pais e Filho teve como colaboradores Rosângela Ribeiro de Alexandrino, José Luiz de Sousa Júnior e Letícia Castro Magalhães.

“Estamos muito satisfeitos com a durabilidade do Projeto. As Oficinas do mês de novembro são as últimas do ano de 2018, e estamos muito entusiasmados com sua continuidade em 2019. O envolvimento dos servidores da Defensoria foi muito importante para que déssemos uma amplitude maior”, afirma a Defensora Pública Dra. Débora Cunha Vieira Cardoso, Coordenadora do Núcleo de Solução Consensual de Conflitos e Cidadania da DPE-PI.