Acompanhe a gente :)

Notícias

Defensoria Regional de Oeiras consegue transferência de gêmeos com broncodisplasia pulmonar para Teresina

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 15, abril de 2019 às 19:40
Dra. Karla Andrade foi a autora do pedido de liminar

Dra. Karla Andrade foi a autora do pedido de transferência

A 2ª Defensoria Pública Regional de Oeiras, que tem como titular a Defensora Pública Dra. Karla Araújo de Andrade Leite, também Diretora Regional da Defensoria Pública, conseguiu liminar favorável à transferência para Teresina em regime de urgência de crianças gêmeas internadas no Hospital Regional Deolindo Couto com quadro broncodisplasia pulmonar.

Devido ao grave quadro de saúde apresentado pelas duas crianças, de 5 meses de vida, necessitavam de internação em UTI Neonatal, o que não dispunha o hospital em que se encontravam em Oeiras. Os irmãos, por iniciais K.S.R e K.S. R.,  entraram no processo de regulação, que controla as transferências para os hospitais de referência, e aguardavam o surgimento de uma vaga.

Ciente dos fartos, Dra. Karla Andrade, deu entrada no pedido de transferência alegando a gravidade do quadro que colocava em risco a vida das duas crianças, considerando que o Hospital Regional Deolindo Couto não dispõe do aparato tecnológico necessário para o atendimento.

Ao deferir a liminar acatando o pedido da Defensoria Pública, o Juiz Dr. Marcos Antônio Moura Mendes, da 2ª Vara da Comarca de Oeiras, determinou que o Estado  do  Piauí procedesse   a transferência  das crianças em prazo de 24 horas para hospital  de  referência  pediátrica  de  Teresina,  para  realização  de  tratamento  médico  adequado  ou, em caso de inexistência de vaga em hospital público, para que subsidiasse a  internação em  leito  de  hospital  particular, conforme prescrição médica e pelo tempo necessário.

“Não teríamos conseguido sem a soma dos esforços da DPE e da equipe do Hospital Infantil Lucidio Portela. Assim que tive ciência da liminar, e sabendo da gravidade do caso, eu entrei em contato com equipe do Hospital, através do responsável pela UTI Neonatal, o Fisioterapeuta Moisés. Muitas pessoas se mobilizaram nessa corrida contra o tempo para trazer os bebês. A equipe da DPE Oeiras não mediu esforços para conseguir vaga, ambulância terrestre e aérea. Os médicos e enfermeiros deixaram a UTI preparada e com os prontuários em mãos para receber os bebês. A dor da família, acredite, também era nossa. Dr. Roosevelt Vasconcelos também esteve no Hospital, no momento em que o segundo bebê chegou de Oeiras, e prestou solidariedade à mãe das crianças. Hoje mesmo eu falei com o Chefe da UTI, ele informou que os bebês estão respondendo bem ao tratamento. O trabalho da Defensoria Regional de Oeiras foi além da petição, porque temos a fraternidade e o olhar humano como guias”, afirma Dra. Karla Andrade, destacando que o trabalho da Defensoria foi elogiado pelos profissionais da UTI do Hospital Lucídio Portela.

“É esse tipo de resultado que nos move a continuar trabalhando em favor dos mais vulneráveis. Saber que a Defensoria Pública contribuiu de uma forma pontual e eficaz para a transferência e atendimento adequado a essas duas crianças, que estavam com a vida em risco, é uma prova que fazemos a diferença na vida das pessoas. Para isso contamos com a abnegada dedicação dos nossos Defensores e Defensoras. O caso das crianças gêmeas de Oeiras foi um entre tantos outros resultados positivos que conseguimos a cada dia. A população do Piauí, especialmente a mais vulnerável, pode estar certa que a Defensoria Pública não mede esforços para garantir o acesso à Justiça e o atendimento que lhes é de direito”, afirma o Defensor Público Geral do Estado do Piauí, Dr. Erisvaldo Marques dos Reis.