Notícias

Dr.Nelson Nery Costa é empossado na Presidência do Conselho Estadual de Cultura

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 05, novembro de 2019 às 18:34
Dr. Nelson Nery e demais empossados nesta terça-feira (05)

Dr. Nelson Nery e demais empossados nesta terça-feira (05)

O Defensor Público de Categoria Especial, Dr. Nelson Nery Costa, assumiu, nesta terça-feira (05), a Presidência do Conselho Estadual de Cultura, substituindo o Professor Cineas das Chagas Santos. Também foram empossados nove Conselheiros e três suplentes. O mandato dos novos Conselheiros abrange o triênio 2019-2022.

Mandato abrange o triênio 2019-2022

Dr. Nelson Nery assume mandato para o  triênio 2019-2022

“O Conselho tem sua função determinada por lei, tem seu regimento e o cumpre rigorosamente. Quanto a mim, tenho a meu favor, o desapego a qualquer tipo de poder. Me sinto bastante confortável no Conselho, sempre contei com meus pares. Não vimos ainda a lei de proteção aos mestres da cultura, o Estado tem a obrigação de proteger os seus mestres”, ressaltou o Professor Cineas Santos em seu discurso de despedida do cargo.

Ao tomar posse, Dr. Nelson Nery Costa garantiu a continuidade do trabalho realizado. “Estou aqui no âmbito do Colegiado do Conselho para lutar por programas culturais, a defesa do patrimônio cultural do Estado, a difusão da cultura. Foi o que Cineas Santos buscou. Dinamizar a biblioteca comunitária, mobilizar o auditório Liz Medeiros, a edição regular da Revista Presença, uma das mais importantes do país, marca e identidade do Conselho; o Centro Cultural do Conselho pode ser grande vetor da cultura não só da Vermelha, mas como de toda zona Sul”, afirmou.

Juntamente com Dr. Nelson Nery  foram empossados Conselheiros titulares Cineas das Chagas Santos; Cláudia Simone de Oliveira Andrade; Wilson Seraine da Silva Filho; José Itamar Guimarães Silva; Maria Dora de Oliveira Medeiros Lima; José Gilson Moreira Caland; Antônio Vagner Ribeiro Lima e Maria do Rosário Sales.

Como suplentes foram empossados Poliana Sepúlveda Cavalcanti; Antônio Francisco Félix de Andrade e João Batista Sousa Vasconcelos.

 

Fonte: Assessoria CEC