Notícias

Incidência de tuberculose entre pessoas privadas de liberdade foi discutida na Defensoria Pública

Tamanho da letra A+ A-
Publicado em 11, janeiro de 2019 às 11:59
Defensores ouvem explicações da Coordenadora da Sejus

Defensores ouvem explicações da Coordenadora da Sejus

Defensoras e Defensores Públicos que atuam na área Criminal, bem como a servidores, colaboradores e estagiários da referida área participaram na última quinta-feira (10), na Unidade João XXIII da Defensoria Pública de um diálogo sobre a Tuberculose e as Pessoas Privadas da Liberdade, com a presença da Coordenadora de Saúde da Secretaria de Justiça do Estado do Piauí, Naila Juliana Ferreira Araújo.

O encontro foi motivado após a constatação de incidência de casos de tuberculose entre os reeducandos que se encontram nas Unidades Prisionais do Piauí, inclusive com um registro de óbito. Naila Juliana Araújo, que é enfermeira, esclareceu aos presentes sobre a prevenção, riscos de contágio e ações que a Sejus vem desenvolvendo em relação à doença, a partir da operacionalização do Plano Estadual de Enfrentamento à Tuberculose TB/HIV no Sistema Prisional.

Além dos profissionais da Defensoria Pública, assistidos que se encontravam no setor de Triagem no momento do diálogo, também tiveram a oportunidade de receber informações sobre o tratamento que vem sendo dispensado aos seus familiares que se encontram nas Penitenciárias do Estado.

Naila Juliana Araújo considerou relevante a busca por informação por parte dos Defensores Públicos que atuam na área Criminal. “Achei muito importante a preocupação. A Sejus está disponível para responder todas as questões, todas as dúvidas. Estamos de portas abertas para fazer os esclarecimentos”, destacou.

A Diretoria Criminal da Defensoria Pública, Defensora Pública Dra. Viviane Pinheiro Pires Setúbal, avaliou como produtivo o diálogo. “Foi muito proveitoso o encontro,  porque temos que ter conhecimento na área técnica acerca da tuberculose, a transmissão, ações,  como é feito o tratamento, para poder dar essa orientação aos familiares dos assistidos e ter mais segurança durante o atendimento que realizamos. Soubemos que existem alguns protocolos que são desnecessários, porque não impedem a questão do contágio. Também ficamos mais calmos quanto a transmissão quando dos atendimentos nos estabelecimentos prisionais. Foi muito interessante. Obtivemos ainda informações quanto  as ações tratamentos realizados pela Sejus na área”, destacou.

Diálogo aconteceu na Unidade João XXIII

Diálogo aconteceu na Unidade João XXIII

“Foi um momento importante no qual tivemos a oportunidade de esclarecer nossas dúvidas e também saber quais as ações pontuais que a Secretaria de Justiça está desenvolvendo em relação aos casos já confirmados, mas principalmente quanto a prevenção. Agradecemos à disponibilidade da Coordenadora de Saúde da Secretaria de Justiça e afirmamos que a Defensoria Pública expressa sua preocupação em relação a incidência da tuberculose dentro do Sistema Prisional, que representa um agravante às condições não apenas dos nossos assistidos, mas de todos os que se encontram nas  Penitenciárias do Piauí, inclusive os agentes penitenciários. Temos convicção que a Sejus agirá da melhor forma para controlar e reverter essa situação no mais curto espaço de tempo”, afirmou a Defensora Pública Geral, Dra. Francisca Hildeth Leal Evangelista Nunes.

Além da Defensora-Geral e da Diretora Criminal, participaram do momento os Defensores Públicos Dr. João Batista Viana do Lago Neto, Dr. Dárcio Rufino de Holanda, Dra. Irani Albuquerque Brito, Dr. Ricardo Moura Marinho, Dra. Gisela Mendes Lopes, Dr. Jeiko Leal Hohmann Britto, Dra. Dayana Sampaio Mendes, Dr. Igo Castelo Branco de Sampaio. Também presente o Padre João Paulo Carvalho, da Pastoral Carcerária.